Projeto Garanhuns

Início: 08/2004; Término: 12/2006; Duração: 29 meses



Objetivo e Justificativas

O mapeamento da Folha Garanhuns, escala 1:250.000, tem por objetivos primordiais:

1. Dotar a área de uma cartografia atualizada compatível com a escala proposta em meio digital;

2. Estudar e ampliar o potencial da área para rochas ornamentais e minerais industriais;

3. Caracterização geocronológica do Terreno Pernambuco-Alagoas através de datações U-Pb nos complexos Belém do São Francisco e Cabrobó;

4. Caracterização geocronológica do Terreno Rio Capibaribe;

5. Caracterização geocronológica através de isótopos estáveis do Terreno Alto Moxotó.

A área proposta corresponde a um dos segmentos da Província Borborema desprovidos de informações geológicas atualizadas, principalmente no que tange à evolução crustal por falta de datações geocronológicas e também pela ausência de um reconhecimento geoquímico regional para uma melhor visualização do potencial metalogenético.


Na região do domínio dos terrenos Rio Capibaribe e Pernambuco-Alagoas registra-se a lavra de granitos para rochas ornamentais. Nesse trabalho será dada ênfase à localização de afloramentos similares visando à ampliação da produção dessa matéria-prima na região.

Na região sudeste da folha será dada ênfase ao estudo dos corpos plutogênicos visando a Terras Raras. Isso se justifica pelo crescente mercado na indústria de metais de alta tecnologia, o qual inclui magnetos permanentes, autocatalisadores, cerâmicas piesoelétricas, lasers e supercondutores de alta temperatura. A exemplo da China, de onde se tem informações a respeito de descoberta de depósitos importantes do tipo adsorção de íons em crosta de intemperismo de granitos não especializados, uma boa perspectiva se abre para essa porção da folha, na Zona da Mata agreste, onde ocorrem granitos alterados de clima quente úmido subtropical, com possibilidades de identificação dos elementos Terras Raras.


Na região de Caroalina, ao norte da folha, registra-se também a ocorrência de grandes lentes de calcário cristalino. A definição química de sua utilidade, caso venha ocorrer como corretivo de solo o seu aproveitamento, poderia ser de suma importância à economia da região.


Localização e Acesso

A Folha Garanhuns encontra-se inserida na região centro-sul da Província Borborema, englobando parte do Lineamento Pernambuco, que delimita ao norte os terrenos Alto Moxotó e Rio Capibaribe e ao sul o Terreno Pernambuco-Alagoas. Essa região encontra-se delimitada pelas coordenadas geográficas 08o00´S a 09o00´N e 36o00´E a 37o30´W, abrangendo parte dos estados Paraíba, Pernambuco e Alagoas.


Geologia Regional

A Folha Garanhuns situa-se na porção central da Província Borborema de Almeida et al. (1977), onde Brito Neves (1975 e 1983) e Santos et al. (1984) propuseram a compartimentação em sistemas de dobramentos, maciços e domínios. Mais recentemente, Santos (1995, 1996 e 1998) propôs a divisão da província, baseada em um processo de colagem de terrenos tectonoestratigráficos distintos.

A evolução pré-cambriana teria sido modelada ou colada durante as orogêneses Cariris Velhos (de idade grenville) e Brasiliana (pan-africana), sendo esta última responsável pela justaposição e dispersão dos terrenos. Desse modo, o pré-cambriano da Folha Garanhuns estaria constituído pelos terrenos Alto Moxotó, Rio Capibaribe (domínio da Zona Transversal) e Pernambuco-Alagoas.

O Terreno Alto Moxotó está representado pelo Complexo Floresta (núcleo paleoproterozoico), Suíte Malhada Vermelha (mesoproterozoica ou mais antiga), complexos Sertânia e Lagoa das Contendas (mesoproterozoicos), metagranitoides Cariris Velhos e Complexo Caroalina (neoproterozoicos), além de ortognaisses e migmatitos. O Terreno Rio Capibaribe, delimitado pelas zonas de cisalhamentos brasilianas de Cruzeiro do Nordeste/Congo e pelo Lineamento Pernambuco, abarca os complexos Pão de Açúcar (paleoproterozoico) e Vertentes (mesoproterozoico).

Esse terreno comporta ainda metagranitoides mesoproterozoicos, ortognaisses, migmatitos indiscriminados e um imenso magmatismo brasiliano, com emplacement sin a tardi-tectônicos e tardi a pós-tectônicos. O Terreno Pernambuco-Alagoas aflora ao sul do Lineamento Pernambuco em toda sua extensão, envolvendo dominantemente o Complexo Cabrobó, seguido do Complexo Belém do São Francisco, além de ortognaisses mesoproterozoicos e vários putons neoproterozoicos. No Fanerozoico destaca-se a Bacia do Jatobá, composta pelo Grupo Jatobá de estágio tectônico de sinéclise, e pelo Grupo Brotas, representando um estágio pré-rift.


Metodologia

O projeto tem seu desenvolvimento em 3 etapas, abaixo descritas:

3.1 Etapa Preliminar

Esta etapa consta de compilação e análise bibliográfica, fotointerpretação de imagens Landsat-TM na escala 1:250.000 e de aerofotos na escala 1:70.000, seguida da elaboração do mapa geológico preliminar a partir da integração da interpretação geológica e dos mapas pré-existentes.

Os dados geofísicos levantados serão tratados e processados. A interpretação preliminar desses dados deverá ser integrada aos trabalhos de tratamento de imagens, dados bibliográficos com a finalidade de produzir o mapa geológico preliminar.

A seguir, objetivando alvos específicos para prospecção e detalhamento, serão utilizados os dados de aeromagnetometria e gamaespectrometria do Projeto Aerogeofísico Cariris Velhos (GEOFOTO S.A., 1977), o qual foi executado com os seguintes parâmetros:

Métodos:
Magnetometria e Gamaespectrometria
Contratante:
CPRM
Contratado: GEOFOTO S.A.
Contrato: 322/DAD/76 - 19/10/76
Período: 11/76 a 02/77
Número de Áreas:01
Total de Perfis: 37.500 km
Intervalo (AM): 2 s
Área Total: 68.000 km²
Espaçamento (LV): 2 km
Espaçamento (LC): 20 km
Tempo de Integração Gama (s): 2
Produtos: Registros analógicos dos perfis e dos testes; fotomosaicos com posicionamento dos perfis; filmes de rastreio; fitas magnéticas de campo.



No levantamento aeromagnetométrico foi utilizado o aeromagnetômetro de prótons, modelo G-803 da Geometrics, com o sensor montado na ponta da cauda (stinger) da aeronave Islander. No levantamento gamaespectrométrico o volume total dos cristais detectores de iodeto de sódio (NaI) ativado a tálio foi de 1018 polegadas cúbicas, sendo usado o aerogamaespectrômetro modelo EXPLORANIUM DIGRS-3001.

Esse projeto teve os seus dados radiométricos convertidos de contagens por segundo (cps) para concentração de elementos - percentagem (%) para K, parte por milhão (ppm) para equivalente Urânio (eU) e equivalente Tório (eTh) e Microroentgen por hora para o Canal de Contagem Total - a partir da técnica denominada de back-calibration. Tal técnica foi transferida para a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais - CPRM através do Projeto "Brazil Airborne Radiometric Mapping Project" (GSC, CPRM e PGW, 1997), de acordo com o Convênio de Cooperação Técnica entre a CPRM e o Geological Survey of Canada - GSC, com a participação da empresa canadense de consultoria em Geofísica Paterson, Grant & Watson Limited - PGW, com o apoio financeiro da Canadian International Development Agency - CIDA - Canada-Brazil Cooperation Project for Sustainable Development in the Minerals Sector.


3.2 Mapeamento Geológico, Reconhecimento Geoquímico e Cadastramento de Recursos Minerais
Os trabalhos de campo serão desenvolvidos em 6 etapas de campo em paralelo com o cadastramento mineral e reconhecimento geoquímico.

A área compõe-se de vários segmentos tectonoestratigráficos assim representados: na metade inferior da folha, pelo Terreno Pernambuco-Alagoas e pela Bacia do Jatobá; e a metade superior, delimitada pelo Lineamento Pernambuco, pelos terrenos Rio Capibaribe e Alto Moxotó.

Os trabalhos de campo serão planejados em uma base geológica integrada e fotointerpretada, utilizando-se perfis transversais aos trends das unidades, cuja finalidade é a de melhor caracterizar as relações estratigráficas e estruturais entre elas, além de melhor definir os segmentos tectonoestratigráficos contidos na folha.

Nos corpos plutônicos, movimentados ou isotrópicos, serão levantadas informações relativas à textura, tonalidade, padrão estrutural, homogeneidade faciológica e aspecto estético, visando à possibilidade de seu aproveitamento como rochas ornamentais.

A Bacia do Jatobá será enfatizada quanto ao potencial hidrogeológico e, além disso, pretende-se avaliar as argilas ocorrentes nessa bacia visando a sua aplicação na indústria de cerâmica.

Com o intuito de identificar as estruturas tectônicas bem como caracterizar suas características litosféricas, serão executados perfis gravimétricos regionais. A previsão é de perfis longos e perpendiculares aos terrenos Alto Moxotó e Rio Capibaribe; e, desses dois, outros perfis, cortando o Lineamento Pernambuco e o Terreno Pernambuco-Alagoas. Ênfase será dada também aos corpos granitoides, visando a elementos radioativos.

Nos intervalos dos trabalhos de campo serão desenvolvidas atividades de escritório com revisões da interpretação fotogeológica, imagens de satélites, incorporação dos dados de campo e laboratoriais, bem como atualização da carta geológica e de recursos minerais em meio digital. Haverá alimentação sistemática do banco de dados do projeto.


3.3 Estudos Laboratoriais
Estão previstas cerca de 200 lâminas delgadas para análises petrográficas, com respectivas análises litoquímicas visando a interpretações petrogenéticas e metalogenéticas. O levantamento geoquímico da folha será feito utilizando-se cerca de 420 amostras para sedimento de corrente com análises de 32 elementos químicos e 180 concentrados de bateia para determinação mineralógica; serão executadas algumas análises para elementos Terras Raras e datações geocronológicas nos corpos graníticos.


Resultados Esperados

Disponibilizar em meio digital (GIS) e analógico (texto e mapas) o relatório do Projeto Garanhuns com indicações de áreas mais favoráveis para exploração de minerais industriais como calcários metamórficos e granitos para fins ornamentais, bem como, de acordo com os resultados do reconhecimento geoquímico, revelar o potencial metalogenético da área. E, ainda, através desses mapas, sugerir ao gestor público o seu uso como instrumento importante para políticas administrativas no manejo do meio físico. A equipe do Projeto Garanhuns espera, enfim, que tenha contribuído com este trabalho para a sociedade local na geração de emprego e renda.

© Copyright CPRM 2016. Todos os direitos reservados.