Projeto Independência

Início: 04/2005; Término: 11/2006; Duração: 20 meses



Objetivo e Justificativas

Mapeamento geológico-metalogenético e prospecção geoquímica regional, ao nível de detalhe da escala 1:100.000, sob a ótica de uma cartografia geológica moderna, utilizando, sempre que possível, os recursos de informática e a experiência adquirida durante a execução do Projeto GIS do Brasil.

A seleção dessa folha para realização das atividades propostas no presente anteprojeto foi feita com base nos resultados da análise dos produtos de trabalhos de síntese geológico-metalogenética recentemente efetuados pela CPRM. Eles revelaram um acentuado desnível no conhecimento geológico da área em relação a outros tratos da Província Borborema, a despeito da sua complexidade e importância no contexto da definição da evolução tectono-geológica da província como um todo.

O mapeamento geológico dessa folha, na escala 1:100.000, proporcionará uma melhor definição e caracterização das unidades litoestratigráficas paleoproterozoicas componentes do complexo Ceará, unidades Canindé e Independência, bem como das diferentes suítes magmáticas presentes na área, de fundamental importância para melhor compreensão da evolução tectônica dessa porção da Província Borborema, ainda tão carente de cartografia geológica multitemática, bem como possibilitará uma melhor avaliação do seu real potencial metalogenético. Dessa forma, os produtos finais a serem gerados proporcionarão benefícios à comunidade regional como um todo, uma vez que constituirão subsídios para a melhoria do conhecimento geológico regional e desenvolvimento do setor mineral, notadamente na área de rochas ornamentais e insumos para a agricultura, importantes geradores de empregos da mão de obra não especializada.


Localização e Acesso

Corresponde a uma área de cerca de 3.000 km² da região centro-oeste do estado do Ceará, compreendida entre as coordenadas de 5 a 5030’ de latitude Sul e de 40 a 40030’ de longitude WG. Abrange os municípios de Independência, Crateús, Ematuba, Boa Viagem e Novo Oriente, conforme a figura abaixo.
Região centro-oeste do estado do Ceará

Geologia Regional

Do ponto de vista geológico, a folha compreende uma aglutinação de segmentos crustais com idades arqueano-paleoproterozoicas (sequências vulcanossedimentares, com rochas máficas e ultramáficas associadas, e suítes TTGs do terreno granito-greenstone Troia-Pedra Branca) e proterozoicas (complexos Ceará/Independência e Tamboril/Santa Quitéria), além de diferentes corpos granitoides brasilianos, ainda muito mal definidas tanto do ponto de vista cartográfico quanto pela caracterização litoquímica, geocronológica e de ambiência tectônica.

No que se relaciona aos aspectos metalogenéticos, ao nível do conhecimento atual, a área demonstra potencialidade para mineralizações de rutilo, carbonatos e rochas ornamentais.


Metodologia

As diversas atividades programadas para o desenvolvimento do projeto podem ser enquadradas em quatro etapas principais: compilação e análise bibliográfica, interpretação geológica sobre imagens de sensoriamento remoto, mapeamento geológico sistemático e redação de relatório final.

A etapa inicial corresponde à execução das tarefas relacionadas à aquisição e análise criteriosa de todos os trabalhos de cunho geológico e/ou metalogenético anteriormente realizados na região. Inclui também um curto período de treinamento em utilização de software de tratamento digital de imagens. Deverão ser gerados os seguintes produtos:

  • Listagem dos trabalhos anteriores;
  • Mapa índice dos levantamentos geológicos, geoquímicos e geofísicos;
  • Mapa de pontos de afloramentos e de ocorrências minerais;
  • Fichas de descrição de afloramentos e boletins analíticos.


Todos eles serão elaborados em meio digital com vistas à alimentação do banco de dados do projeto. A etapa de interpretação fotogeológica sobre imagens aéreas (fotografias na escala 1:70.000 e imagens de satélite) deverá durar três meses. Em paralelo com as atividades citadas anteriormente, deverão ser elaborados, em meio digital, os mapas aerogeofísicos de magnetometria e radiometria. Essa etapa deverá culminar com a confecção do mapa geológico preliminar, produto da integração dos dados bibliográficos com a fotointerpretação geológica, que constituirá o mapa de serviço para a etapa de mapeamento geológico.

Durante os trabalhos de campo deverão ser realizadas seções geológicas transversais às principais estruturas regionais, visando à identificação e forma de distribuição dos diferentes tipos litológicos presentes, caracterização das estruturas e litotipos e determinação dos arranjos geológicos. Em paralelo, a equipe de geologia econômica providenciará o cadastramento dos recursos minerais existentes. Ainda concomitante com as atividades de mapeamento geológico sistemático da folha, serão desenvolvidas as tarefas relacionadas à prospecção geoquímica regional.

Os produtos finais resultantes dessa etapa, mapas geológico, de amostragem geoquímica e de potencialidade de recursos minerais, constituem os principais objetivos do projeto. Os últimos seis meses do projeto serão destinados à consolidação final do acervo de dados gerados durante o seu desenvolvimento e redação de nota explicativa contendo as informações existentes e adquiridas, os dados gerados para as interpretações e as conclusões sobre o trabalho executado, acompanhado de documentação gráfica pertinente.

As informações completas sobre todos os dados obtidos durante a execução de todas as etapas componentes do projeto serão disponibilizadas tanto em meio digital (em ambiente GIS, possibilitando tanto a consulta a temas específicos quanto ao resultado da combinação de temas distintos) quanto analógico, sob a forma de mapas e relatório técnico.


Resultados Esperados

Mapeamento geológico da área, ao nível da escala 1:100.000, sob a ótica de uma cartografia geológica moderna utilizando, sempre que possível, os recursos de informática e a experiência adquirida durante a execução do Projeto GIS do Brasil.

Caracterização petrográfica, litogeoquímica e geocronológica dos componentes litológicos, principalmente das rochas de origem magmática.

Recadastramento dos recursos minerais disponíveis na região, visando à melhoria na consistência locacional e atualização das informações previamente disponíveis.

Elaboração do Mapa de Potencialidade de Recursos Minerais da folha, na escala 1:100.000.

Geração de um banco de dados atualizado, capaz de armazenar dados gráficos e alfanuméricos, encerrando todas as informações coletadas durante a execução do projeto relacionadas aos aspectos geográficos, geológicos e de recursos minerais.

Criação de um SIG unificado, capaz de constituir um sistema dinâmico, de fácil manuseio e que possa aglutinar, em um só local, os diferentes documentos cartográficos e a variada gama de informações técnico-científicas que venham a ser geradas no transcorrer do projeto.

© Copyright CPRM 2016. Todos os direitos reservados.