Saiba Mais - Capacitação em Percepção e Mapeamento de Áreas de Risco Geológico

A história do Serviço Geológico do Brasil - SGB/CPRM em ações de capacitação em percepção e mapeamento de riscos geológicos começou em 2006, através da parceria firmada com o Município de Nova Friburgo/RJ. Durante essa parceria foram capacitados os técnicos do município envolvidos com as ações de risco. Também nessa parceria foi criada a Cartilha Comunidade Mais Segura - Mudando Hábitos e Reduzindo Riscos de Movimentos de Massa e Inundações, material educativo voltado ao público infanto-juvenil.

Essas ações, apesar de embrionárias, são relevantes até os dias atuais. Mas foi a partir do Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais, em 2012, que a atuação do SGB nas ações de capacitação em percepção e mapeamento de riscos geológicos passou a fazer parte da estratégia do Governo Federal, através do Plano Plurianual - PPA.

As ações de capacitação passaram a ser desenvolvidas em diversos níveis, sendo o de maior alcance o curso oferecido através da parceria com a Escola Nacional de Administração Pública e com a Escola Virtual do Governo, intitulado Curso de Percepção e Mapeamento de Áreas de Risco Geológico. Essa ferramenta é oferecida de forma gratuita e aberta ao público em geral. Dessa forma, permite ao aluno administrar o próprio tempo e estudar o material nos dias e horários de maior conveniência.

Também na modalidade on-line são oferecidos cursos com aulas síncronas, com a vantagem da interlocução direta com os profissionais do SGB. Essa modalidade é restrita a agentes públicos com atuação direta na área, em especial os profissionais de Defesa Civil dos estados e municípios. Nessa categoria os participantes têm possibilidade de interação, esclarecendo dúvidas e compartilhando experiências.

O SGB oferece também às Defesas Civis municipais e estaduais cursos presenciais que, dentre os mencionados, é o que proporciona a mais completa experiência aos participantes. Além do contato direto com nossos profissionais, são realizadas etapas de campo, com visitas às áreas de risco para discussões e debates, trazendo o conteúdo teórico para as ações práticas.

Quanto aos cursos de nível mais avançado, esses são realizados em ambiente acadêmico, através de parcerias com as universidades. Nesse nível são ministrados cursos e palestras dentro da grade curricular das instituições de ensino direta ou indiretamente ligada ao tema de gestão de riscos geológicos e prevenção de desastres naturais. Recentemente, parcerias têm sido firmadas com várias universidades, como a Universidade Federal Fluminense - UFF, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG e Universidade de Brasília - UnB.

O objetivo principal dessa ação é difundir o conhecimento ligado à percepção e mapeamento de riscos geológicos. Nas capacitações dos servidores públicos ligados às Defesas Civis municipais e estaduais, o retorno à sociedade é direto, pois a capacitação dos servidores leva a uma melhoria na qualidade dos serviços prestados à população.

A oferta dos cursos à população em geral tem como objetivo uma melhoria da relação da sociedade com o meio, buscando um maior conhecimento e compreensão dos fenômenos geradores e potencializadores de risco; já as ações desenvolvidas em ambiente universitário visam à difusão do conhecimento e ao fomento da pesquisa em gestão de riscos e prevenção de desastres.

Nas capacitações oferecidas pelo SGB são abordados conceitos fundamentais e vocabulário técnico, além de serem discutidos e exemplificados os processos físicos que levam à ocorrência de movimentos de massa, erosões e inundações. Também são apresentados, brevemente, os projetos do SGB que dão apoio à gestão integrada de riscos e desastres, tanto no âmbito da metodologia de execução, quanto na leitura e no uso dos produtos finais.

Assim, a visão estratégica que norteia essa ação é o uso da difusão do conhecimento para o fortalecimento da capacidade de gestão de riscos e resposta a desastres naturais no país. Tal ação busca uma mudança na cultura da população no que diz respeito à relação da sociedade com os elementos naturais deflagradores de risco.

  • Imprimir