Zoneamento Ecológico-Econômico - ZEE

Esta linha de ação consiste em um instrumento de planejamento que gera indicadores sobre as potencialidades e fragilidades dos meios físico, biótico e socioeconômico capazes de subsidiar a tomada de decisões nos diferentes níveis hierárquicos do aparelho governamental, com vistas a viabilizar o desenvolvimento sustentável e harmônico do território brasileiro.

Os estudos apontam soluções e propostas para a implementação de um planejamento territorial adequado, visando a otimizar o grau de integração regional nos níveis externo (entre o Brasil e os países vizinhos) e interno. Propicia aos órgãos estaduais de planejamento a delimitação de zonas destinadas à preservação ambiental ou à recuperação das áreas degradadas pela ação humana ou por processos naturais, bem como aquelas direcionadas ao fortalecimento e incentivo ao desenvolvimento sustentável do território nacional.

Assim, o ZEE não se caracteriza apenas como um produto técnico-científico, mas como um instrumento de planejamento das atividades sociais e econômicas de um território, debatidas e acolhidas pela sociedade. Nesse contexto, a CPRM contribui para o zoneamento ecológico-econômico realizando estudos sobre o meio físico.



Projetos
 Bocas de minas abandonadas liberam água ácida para drenagem superficial, em Criciúma (SC).  Planta de beneficiamento de calcário magnesiano, na borda da Chapada das Mangabeiras (Pi).  Espigões da vertente sul da Serra Curral sofrendo processo de ocupação recente. Construção de casas de alto padrão em área de risco geológico.  Caulim de excepcional qualidade, próprio para as indústrias de papel e de cerâmicas nobres. As reservas existentes na área do Distrito Agropecuário da Suframa correspondem a aproximadamente 47% das reservas nacionais.



Contato e Informações:
Valter José Marques
Chefe da Divisão de Gestão Territorial da Amazônia - DIGEAM
E-mail: vmarques@cprm.gov.br

© Copyright CPRM 2016. Todos os direitos reservados.