Quinta-feira, 11 de julho de 2019

Analista da CPRM é reconhecida com menção especial em Bienal Internacional de Arte

 A obra “Até Quando?” retrata as inundações causadas pelas cheias dos rios da Bacia Amazônica
A contadora Hebe Souza de Oliveira trabalha há nove anos no Serviço Geológico do Brasil (CPRM), como analista em Geociências. Ao longo desse período, graduou-se em Artes Visuais pela Universidade Federal do Amazonas e ingressou no Mestrado Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (ProfÁgua) na Universidade Estadual do Amazonas. Após submeter as obras "Maria Jussara" e "Até Quando?" à Bienal Internacional de Arte Naïf Totem Cor-Ação (BÏNaif), e ambas terem sido aceitas, a artista ainda recebeu um certificado de menção especial por “Até Quando?”.

A exposição ocorrerá entre os dias 14 de setembro e 15 de outubro deste ano, no Museu de Socorro, município do interior do estado de São Paulo. Hebe aprendeu a desenhar e pintar sozinha. A paixão pela arte teve início na infância, sendo a Amazônia sua principal fonte de inspiração. Durante o processo criativo, ela retrata “a fauna, a flora, os rios, o povo, os costumes e até mesmo os problemas”.

 Pintura “Entre os Rios Negro e Solimões” exposta no Museu de Diadema (SP), em abril deste ano “Fiquei muito feliz ao receber essa menção especial, pois são muitos artistas consagrados concorrendo e se destacar numa Bienal dessa é uma alegria muito grande. As seleções são disputadas e feitas por grandes e renomados curadores. Eu também tive obras selecionadas para dois outros importantes eventos: Boto-cor-de-rosa para o Festival Internacional de Arte Naïf na Paraíba; Esperança e Entre os Rios Negro e Solimões na Mostra Nacional de Arte Naïf no estado de São Paulo”, revela.

De acordo com a artista, a pintura “Até Quando” representa as inundações provocadas pelas cheias dos rios da Bacia Amazônica e, além disso, reflete a atual condição de Manaus. “Em 5/6, foi decretada situação de emergência por conta cheia do Rio Negro. O trabalho de monitoramento hidrológico da CPRM é imprescindível, pois é com base nele que o município pode fazer o decreto. Falando da pintura, por ser um tema dramático, achei que precisava passar emoção, o sofrimento das pessoas, isso influenciou na escolha das cores. Outro detalhe dessa pintura é que as pessoas da cena não possuem rostos. Isso mostra que aquelas pessoas são sempre consideradas apenas estatística, mais um número que se repete. A outra obra “Maria Jussara” não tem relação com cheia, ela é mais caricata, a personagem é uma cabocla que toma açaí, usa uma tiara de guaraná e tem um filhote de onça de estimação. É uma pintura que faz várias referências ao povo da região norte”, destaca.

A analista em Geociências afirma que durante a graduação contou com o apoio da Diretoria Executiva para a conclusão do curso. E agora, no mestrado, também possui o suporte da Diretoria de Administração e Finanças. “Trabalhar na CPRM tem sido vantajoso em diversos aspectos, primeiro porque é uma boa empresa para se trabalhar e tem uma função importante como Serviço Geológico do Brasil. Segundo porque possibilita que seus empregados se aperfeiçoem”, disse.

 Hebe é lotada na Superintendência Regional de Manaus O estilo Naïf valoriza a abordagem de temas cotidianos e manifestações culturais. As pinturas se assemelham a desenhos, haja vista a espontaneidade e pureza. Uma das características desse tipo de arte é que ela, em sua maioria, é desenvolvida por pessoas autodidatas. “Eu não gosto de copiar fotografia e nem de ficar horas desenhando a realidade apenas como um fiel observador. Eu gosto de criar, gosto da arte Naif porque ela é livre, pura, sem padrões estéticos e me permite usar toda minha criatividade”, afirma.

A trajetória de Hebe é marcada pela contínua busca do desenvolvimento profissional e pessoal. Além de conciliar as duas carreiras, a pesquisa da pós-graduação segue em andamento, cujo objetivo é realizar um diagnóstico dos impactos socioeconômicos das cheias, visando contribuir com o planejamento e a gestão pública.

Clique aqui para conferir as obras!


Pedro Henrique Santos
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil (CPRM)
pedro.pereira@cprm.gov.br
(21) 2295-4641
  • Imprimir

© Copyright CPRM 2016-2019. Todos os direitos reservados.