Sexta-feira, 01 de setembro de 2017

CPRM apresenta resultados obtidos pelo Projeto Agrominerais da Região de Irecê e Jaguarari (BA)

 Marco Advíncula, gerente de Relações Institucionais e Desenvolvimento, explicou as principais atividades desenvolvidas pela CPRM O Serviço Geológico do Brasil (CPRM), representado pela Superintendência de Salvador, foi convidado para apresentar os resultados obtidos pelo Projeto Agrominerais da Região de Irecê e Jaguarari (BA) na reunião do Conselho de Responsabilidade Social Empresarial (CORES) da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB).

O projeto foi realizado através de convênio com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (CODEVASP). A equipe foi chefiada pela geóloga Alessandra Elisa Blaskowski e teve a supervisão da geóloga Magda Bergmann, além de contar com os pesquisadores em geociências Rubem Sardou, Vanildo Almeida Mendes, Maísa Abram e Oliveira Cavalcante.

Durante a reunião no CORES, foram divulgados os avanços inovadores em relação a remineralização de solos através da utilização de rochas oriundas de pilhas de descarte de mineração, sendo também pesquisado o potencial agromineral do uso de polpas de bacia de rejeitos de mineração. O trabalho resultou na proposição de fontes de potássio, como os flogopititos dos descartes dos garimpos de esmeralda (Cooperativa Mineral da Bahia, Campo Formoso e Pindobaçú); fósforo (bacia de rejeitos da Mineradora Galvani, Irecê); cálcio, magnésio, e corretivos de solos (rochas da Bacia de Irecê); magnésio, sílica e corretivos de solos associados a rochas máficas e ultramáficas das lavras de cromita da Mineração Ferbasa-Cia de Ferro Ligas da Bahia (Campo Formoso e Andorinha); kimberlitos da Lipari Mineração Ltda (Campo Kimberlítico de Nordestina) e fontes de multinutrientes e micronutrientes variados (bacia de rejeitos da mineradora Caraíba S/A, Jaguarari).

O Coordenador do Conselho, Marconi Andraos Oliveira, ressaltou a importância do desenvolvimento de novas técnicas que promovam a sustentabilidade dos recursos naturais e, a partir do projeto, a possibilidade de reutilização de descartes da mineração na diminuição do impacto ambiental desta atividade.

 Alessandra Blaskowski, pesquisadora da Divisão de Minerais Industriais, apresentando o projeto sobre Agrominerais Alessandra Blaskowski, integrante da Divisão de Minerais Industriais, destacou que o Brasil possui um território com grande diversidade geológica, vasta gama de agrominerais e utiliza intensivamente fertilizantes químicos na agricultura, com gastos elevados na importação de insumos para sua fabricação.
Por outro lado, embora se tenha pesquisado também rochas ainda não exploradas, a disponibilidade de materiais já extraídos em pilhas de descartes e bacia de rejeitos de mineração dispensa novos processos de licenciamento minerário e ambiental, possibilitando seu emprego a curto e médio prazo e a custos reduzidos na agricultura. “Esse aproveitamento, além de ser mais uma fonte de receita para as mineradoras, reduz os estoques de rejeitos e os volumes acumulados nas bacias de decantação, mitigando os seus passivos ambientais”, afirma Alessandra Blaskowski.

“Projetos como o Agrominerais da Região de Irecê e Jaguarari (BA), precisam ser cada vez mais fortalecidos na CPRM, pois carregam uma função social enorme ao apresentar soluções sustentáveis para problemas ambientais e permitir novas fontes de minerais para fertilização do solo e desenvolvimento da agricultura”, pontua Cimara Monteiro, gerente de Geologia e Recursos Minerais da unidade de Salvador.

A reunião contou com a presença de representantes de empresas públicas e privadas como Dow Brasil Indústria e Comércio de Produtos Químicos Ltda, Plan International Brasil, Sindicato das Indústrias de Papel, Celulose, Papelão, Pasta de Madeira para Papel e Artefatos de Papel e Papelão do Estado da Bahia (SINDPACEL), Centro Interdisciplinar de Desenvolvimento e Gestão Social da Universidade Federal da Bahia (CIAGS/UFBA), Concreta Tecnologia e Engenharia Ltda, Andraos Consultoria e Gestão Empresarial, Strix Educação, Avaliação e Projetos, Grupo O Boticário, Camisas Polo, GMARS e Bahia Specially Cellulose.

Representando a CPRM, estiveram presentes os pesquisadores Marco Antônio Advíncula, da Gerência de Relações Institucionais e Desenvolvimento, Cimara Monteiro, da Gerência de Geologia e Recursos Minerais e Alessandra Elisa Blaskowski, integrante da Divisão de Minerais Industriais e uma das autoras do projeto.

Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
asscomdf@cprm.gov.br
(61) 2108-8400

© Copyright CPRM 2016. Todos os direitos reservados.