Quinta-feira, 01 de novembro de 2018

CPRM participa de lançamento de plano nas áreas de minerais estratégicos, energia limpa e petróleo

Plano de Ciência, Tecnologia e Inovação para Minerais Estratégicos O diretor-presidente do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Esteves Pedro Colnago, acompanhou nesta quarta-feira (31/10) o lançamento dos Planos de Ação em Ciência, Tecnologia e Inovação 2018-2022, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). São três documentos que abrangem os setores de Energias Renováveis e Biocombustíveis, Minerais Estratégicos e Petróleo e Gás.

O plano na área de Minerais Estratégicos, com foco em agrominerais, terras-raras, silício e lítio, tem como base dois trabalhos desenvolvidos pela CPRM, entre outras publicações: “Diretrizes para avaliação dos minerais estratégicos: fosfato, potássio, terras raras e lítio” e “Avaliação do potencial do lítio no Brasil: área do Médio Rio Jequitinhonha, Nordeste de Minas Gerais”.

Veja aqui o Plano de Ciência, Tecnologia e Inovação para Minerais Estratégicos:
http://www.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/publicacao/arquivos/Cartilha-ENERGIA.pdf

Durante o lançamento, o secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTIC, Maximiliano Martinhão, destacou a questão dos agrominerais, que se apresentam como alternativa para fornecimento de nutrientes e insumos para a indústria de fertilizantes ou para utilização direta na agricultura.

“É uma inovação que vai ajudar a equilibrar a balança comercial do país. Existe, sobretudo, um projeto que me chama a atenção: extrair nutrientes para a agricultura brasileira a partir de rejeitos da indústria mineral”, afirmou o secretário ao citar uma das formas para obtenção de agrominerais.

O pesquisador Eder de Souza Martins, da Embrapa Cerrados, apresentou durante o evento uma prévia do trabalho desenvolvido em conjunto com a CPRM de Zoneamento Agrogeológico, que será lançado no dia 4 de dezembro em um evento no Ministério de Minas e Energia.

A CPRM é parte de um grupo de trabalho interministerial que trata de questões relacionadas aos agrominerais e já desenvolveu uma série de estudos sobre o tema, que é uma das prioridades elencadas no seu planejamento estratégico para o ciclo 2017-2021.

Para o diretor-presidente Esteves Colnago é importante seguir com esse e outros projetos para reduzir a dependência de insumos para fertilizantes, como potássio e fósforo. “Com certeza temos disponibilidade desses recursos no Brasil. O que precisamos é aprimorar nosso conhecimento sobre essa disponibilidade. A CPRM, por meio de uma parceria, voltou a ter acesso às ações relacionadas às bacias sedimentares brasileiras, onde vamos encontrar muitas coisas relacionadas a fosfato e potássio. Temos a oportunidade de retornar a esse ambiente na expectativa de buscar informações”, afirmou Colnago.

Ao falar também sobre minerais estratégicos, o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energias (MME), Márcio Félix, citou o trabalho do governo na área de geologia marinha (outra prioridade da CPRM para o ciclo 2017-2021) ao falar sobre “a chamada Amazônia Azul como uma fonte importante de recursos que podem ser usados no futuro” e destacar o interesse estratégico do país na Elevação do Rio Grande.

Eduardo Cucolo
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
asscomdf@cprm.gov.br
(61) 2108-8400
  • Imprimir

© Copyright CPRM 2016-2018. Todos os direitos reservados.