Quarta-feira, 02 de janeiro de 2019

Chuvas elevam os rios da bacia do rio Doce e causam inundação em Linhares na virada do ano

Inundação atinge casa em Linhares. Imagem da Defesa Civil de Linhares – Antônio Carlos dos Santos O nível do rio Doce transbordou em um dos pontos monitorados pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) no primeiro dia de 2019. No município de Linhares, no Espírito Santo, o nível do rio atingiu a cota de inundação de 3,45 metros, às 18h. No entanto, a cheia que atingiu muitos moradores deu uma trégua. O último boletim divulgado na manhã de hoje, dia 02/01, indica nível do rio estável com tendência a cair lentamente nas próximas horas.

Gráfico mostra elevação do nível do rio Doce em Linhares A possibilidade de enchente também preocupou os moradores de Ponte Nova, em Minas Gerais na virada do ano. Lá o rio Piranga atingiu o nível considerado de alerta para cheia, no dia 1°, às 7h45, quando teve início a divulgação de boletins pela CPRM para as autoridades da Defesa Civil. Os dados registram a subida do rio até 2,99 metros às 14h e, em seguida, o início da vazante e retorno do nível do rio a patamares normais.

Conforme o coordenador dos Sistemas de Alerta Hidrológico da CPRM, o engenheiro hidrólogo Artur Matos, responsável pelo Sistema de Alerta Hidrológico da Bacia do Rio Doce (SAH Doce), as chuvas registradas em cinco dias, entre 27 e 31 de dezembro, causaram a elevação dos rios na Bacia do Rio Doce. Em Linhares, o acumulado de chuvas chegou a 100,4 milímetros. Em Ponte Nova, 177,2 milímetros de chuvas acumuladas e em Governador Valadares, 196,4. “Vamos continuar monitorando porque há previsões de mais chuvas no mês de janeiro”, informou Artur.

Pontos de monitoramento da bacia do rio Doce O monitoramento ocorre por meio de Plataformas de Coletas de Dados Automáticos (PCDs) situadas em diversos locais nas margens dos rios que enviam em tempo real os dados dos níveis dos rios e os volumes de chuva registrados. As estações telemétricas que compõem os sistemas de alerta hidrológicos integram a Rede Hidrometeorológica Nacional de Referência (RHNR). A operação e manutenção destas estações, bem como o uso dos equipamentos de medição passaram a ter o apoio operacional e financeiro da Agência Nacional de Águas (ANA) através do Termo de Execução Descentralizada (TED) de operação da RHN.

Os dados, bem como as previsões de níveis realizadas por meio de modelos hidrológicos pelos engenheiros da CPRM, estão disponíveis na plataforma Sistema de Alerta de Eventos Críticos (SACE/CPRM). As previsões são enviadas por meio de boletins e informes para os representantes de Defesa Civil e demais órgãos com capacidade de atuação para realocação ou remoção das populações que provavelmente serão atingidas pela inundação durante eventos hidrológicos extremos.

Mais informações podem ser acessadas através do site: http://cprm.gov.br/sace/doce/

Janis Morais
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
asscomdf@cprm.gov.br
(61) 2108-8400
(51) 3406-7361

© Copyright CPRM 2016-2019. Todos os direitos reservados.