Quinta-feira, 08 de abril de 2021

Serviço Geológico do Brasil destaca importância da mineração ao agronegócio

A importância do investimento na mineração para potencializar o cenário do agronegócio no país foi o tema central da discussão promovida nesta semana pela startup Minery, uma empresa que inovou no setor ao lançar, em 2018, uma plataforma que conecta pequenos mineradores a compradores nacionais e internacionais. O bate-papo transmitido pelo Instagram contou com a participação do diretor de Geologia e Recursos Minerais do Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM), Marcio Remédio, que destacou os trabalhos da instituição em benefício ao agronegócio.

CEO da Minery, Eduardo Gama
Diretor da DGM, Márcio Remédio
“O SGB/CPRM vem se destacando ao longo dos anos pelos trabalhos desenvolvidos no segmento, ampliando e gerando conhecimentos que podem reduzir os riscos na exploração mineral e, ao mesmo tempo, aumentar a competitividade do agronegócio. Desenvolvemos materiais que otimizam o serviço de vários setores, permitindo avanços nas explorações minerais e no desenvolvimento sustentável” , enfatizou Marcio Remédio durante o bate-papo conduzido pelo CEO da Minery, Eduardo Gama. Os dois levantaram um breve panorama do agronegócio, citando o potencial que o Brasil tem de exportação e a necessidade de investir mais em recursos próprios.

A conversa foi adquirindo um rumo que tratou do potencial de desenvolvimento do Brasil nos cenários do agronegócio e também da exploração mineral. Ambos chegaram a conclusões, através da apresentação de argumentos atuais, que o país possui um teor de importação de produtos muito acima do ideal. A economia nacional poderia ser fortalecida em um contexto onde investimentos em ciência e tecnologia fossem estimuladas, além da elevação dos índices de exploração mineral nacional.

“Investir em ciência e tecnologia é fundamental. Ainda existe esse problema de investimento no Brasil. Quem investe em mineração pouco investe em pesquisa” , disse Eduardo Gama.

Ao falar sobre a ampliação dos investimentos nos setores e do estimulo às atividades nacionais, o diretor do SGB/CPRM apresentou dados sobre as importações minerais que o Brasil vem fazendo ao longo dos anos. Na avaliação de Marcio Remédio, “o país precisa produzir para que não falte alimento no mundo” . O diretor ponderou que, se as atividades nacionais não estão sendo aproveitadas da maneira que o potencial pede, em algum momento diversos outros países sofrerão com a falta de recursos.

“A produção agrícola precisa crescer muito no Brasil para que o mundo possa se alimentar. A nossa importação de potássio atinge um índice de 96%, a de fosfato chega a 55%, fora os outros minérios. Aumentar a atividade interna, tanto de desenvolvimento no agronegócio, quanto na exploração mineral, é necessário para controlar esse índice e atingir marcas cada vez mais positivas na economia”, explicou o diretor.

Marcio Remédio encerrou a participação no bate-papo convidando os espectadores da live a conhecer o banco de dados do SGB/CPRM, o GeoSGB, onde há uma série de estudos publicados que servem para o aprofundamento no agronegócio e em diversas outras áreas beneficiadas pelo conhecimento geocientífico produzido pelos pesquisadores em geociências da instituição. Para ver os estudos disponíveis, basta clicar aqui .


Pedro Martins
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil
pedro.nunes@cprm.gov.br
asscom@cprm.gov.br


  • Imprimir