Segunda-feira, 05 de novembro de 2018

Serviço Geológico participa de encontro para discutir a padronização de atendimento em ações de ajuda humanitária internacional

O Serviço Geológico do Brasil participou da reunião técnica promovida pelo Ministério da Integração Nacional para discutir a padronização de atendimento em situações de desastres naturais. O assessor da DHT Jorge Pimentel representou a instituição.

Coordenada pela Defesa Civil Nacional, a iniciativa é parte do acordo de cooperação técnica celebrado entre o governo brasileiro e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que prevê ações de melhoria na gestão de riscos de desastres no Brasil. Além de autoridades federais e estaduais de Defesa Civil, também participaram do evento representantes internacionais ligados à Office of U.S. Foreign Disaster Assistance (OFDA), órgão responsável por coordenar o trabalho de prevenção a desastres nos Estados Unidos.

 Adelaide Nacif e Jorge Pimentel



Segundo Jorge Pimentel, a discussão sobre o papel de cada órgão contribui para a principal finalidade: salvar vidas. “Desde 2011 a CPRM realiza trabalhos de setorização de riscos geológicos e hoje nós temos mais de 1400 municípios mapeados e identificamos mais de 4 milhões de pessoas que habitam áreas de risco. Nosso trabalho auxilia órgãos como a Defesa Civil, o CENAD (Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres) e o CEMADEN ( Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais), utilizem nossos mapas e, através dos alertas de risco, organizem ações visando a segurança da população, e nesse sentido a CPRM tem uma equipe de geólogos de engenharia de alto nível e que poderá contribuir em ações de ajuda humanitária internacional em resposta aos eventos de desastres naturais”, comentou.

Adelaide Nacif, diretora do Departamento de Prevenção e Preparação do Ministério da Integração Nacional fala sobre a importância do encontro. “A CPRM está inclusa no Plano Nacional de Gestão de Riscos e um dos seus papéis no grupo é indicar através do seu estudo geológico, quais são os municípios que devemos dar maior atenção. Precisamos reduzir os riscos de desastres e evitar que eles aconteçam para que a resposta aos danos e prejuízos não sejam sete vezes maiores do que investir na prevenção, sem falar obviamente nas vidas das pessoas, que não tem preço”, alega a diretora.






Setorização de áreas de risco:
A setorização de riscos geológicos tem por finalidade a identificação, a delimitação e a caracterização de áreas ou setores de uma encosta ou planície de inundação sujeitas à ocorrência de processos destrutivos de movimentos de massa, enchentes de alta energia e inundações. Todo o acervo de dados é disponibilizado para órgãos e instituições do governo federal, de estados e de municípios que atuam na prevenção e no monitoramento de eventos climáticos catastróficos, visando contribuir para a redução dos danos e para a diminuição das perdas, de vidas e materiais, relacionadas aos desastres naturais.

O setor de risco é delimitado com base na ocorrência de indícios e evidências observadas no local, tais como: trincas no solo, degraus de abatimento, árvores inclinadas, cicatrizes de deslizamentos, marcas de cheia, entre outros. Cada setor de risco é representado em uma prancha de setorização no tamanho A3, apresentada no formato PDF, com fotos relativas aos indícios observados no terreno e nas moradias, além de outras estruturas urbanas em risco, contendo a descrição da tipologia do processo e informações para o entendimento dos condicionantes. Saiba mais sobre o trabalho da CPRM sobre a setorização de áreas de risco clicando aqui.

 Na imagem, os municípios mapeados de 2011 a 2018 em todo o território nacional
Cursos de Capacitação para a Defesa Civil:
Os cursos de capacitação ministrados por profissionais da CPRM desde 2007, têm o objetivo de transmitir conceitos, critérios e metodologias relacionadas ao diagnóstico, mapeamento e planejamento de intervenções, visando à prevenção de desastres naturais ou induzidos, principalmente movimentos de massa e inundações. O Serviço Geológico promove o curso Práticas de Prevenção e Gerenciamento de Riscos de Desastres Naturais, em parceria com os órgãos estaduais e municipais da Defesa Civil. Desde 2007 já foram capacitados cerca de 1800 profissionais em mais de 60 cursos ministrados e tendo uma estrutura consolidada de instrutores em todas as unidades regionais da CPRM.


Letícia Peixoto
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
asscomdf@cprm.gov.br
(61) 2108-8400
  • Imprimir

© Copyright CPRM 2016-2018. Todos os direitos reservados.