Sexta-feira, 14 de julho de 2017

Superintendência de Manaus divulga resultados de mapeamento de áreas de risco na capital amazonense

Entrega do levantamento de áreas de risco pela geóloga Luciana Miyagawa ao lado do Secretário Municipal da Defesa Civil Cláudio Belém O Serviço Geológico do Brasil e a Defesa Civil de Manaus divulgaram na última sexta-feira (07/07), a ação preventiva realizada na capital amazonense em áreas de risco muito alto (R4), no primeiro semestre deste ano. O levantamento foi realizado no período chuvoso intenso que atingiu a capital, com o mapeamento indicativo das áreas com propensão a deslizamentos e alagamentos.

Atualmente, a cidade apresenta 734 áreas de risco, concentrando o maior número delas na zona Norte e Leste do município em zona urbana. Dessas, 58 são áreas de risco muito alto a deslizamentos, as quais foram atualizadas na ação preventiva que identificou 851 moradias vulneráveis nessas áreas.

De acordo com o Secretário Municipal de Defesa Civil, Cláudio Belém, essa primeira atualização das áreas de risco tipo R4 iniciou em fevereiro deste ano. “O levantamento foi realizado ao longo desse primeiro semestre em parceria com o CPRM para avaliar as áreas de alto risco na cidade”, informou Cláudio Belém.

O trabalho preventivo nesses pontos de risco é realizado semanalmente pela Secretaria Executiva de Proteção e Defesa Civil do município e conta com o reforço dos Núcleos de Proteção e Defesa Civis nas comunidades (Nupdecs), formados por voluntários que ajudam o órgão a monitorar essas áreas da cidade. Outro reforço é o monitoramento por pluviômetros instalados na capital.

A entrega do estudo aconteceu no decorrer do curso de Cartografia Geotécnica promovido pela CPRM, que serve de embasamento teórico para o início da execução da Carta Geotécnica de Manaus. O objetivo é capacitar técnicos para classificar e representar componentes do ambiente geológico para compor as atividades de engenharia, planejamento, construção, exploração e preservação do ambiente, na Capital.

© Copyright CPRM 2016. Todos os direitos reservados.