Rochas Carbonáticas da Borda Leste da Bacia do Paraná - SP/PR

Objetivo e Justificativas

O projeto visa a ampliar a potencialidade e uso dos carbonatos da Formação Irati enquanto insumos agrícolas, a partir de mapeamento geológico e das análises mineralógica e química de detalhe. A individualização e caracterização dos diferentes níveis carbonáticos presentes é igualmente importante para a melhoria do planejamento de lavra e valorização do produto final. A correção da acidez dos solos é fundamental para o sucesso do empreendimento agrícola. Atualmente, a produção de calcário agrícola no Brasil corresponde a apenas um terço da real necessidade dos nossos solos. Aproximadamente 22% das reservas de rochas carbonáticas do estado de São Paulo encontram-se na Formação Irati e subordinadamente nas formações Corumbataí e Serra Alta, as quais afloram na porção central do estado de São Paulo, podendo abastecer não somente a este, mas também às regiões norte e nordeste do estado do Paraná, onde pequenas lentes de rochas carbonáticas são conhecidas.


Localização e Acesso

O objeto em estudo está representado por uma faixa praticamente contínua com cerca de 300 km de extensão e largura variando desde dezenas de metros a alguns quilômetros. Estende-se desde o município de Araras (SP) até a porção nordeste do estado do Paraná. A zona canavieira de Piracicaba - a qual envolve os municípios de Piracicaba, Limeira, Rio Claro, Rio das Pedras, Laranjal Paulista, Pereiras, Conchas, Mombuca, Cerquilho, Tietê, Itapetininga, Angatuba e Cesário Lange - representa a principal área de produção do bem mineral em questão.


Geologia Regional

A área em questão é composta por rochas sedimentares de idade permiana que compõem parte da Bacia do Paraná. Abrange as formações Irati e, subordinadamente, Serra Alta e Corumbataí, compostas por rochas pelíticas e carbonáticas.

Formação Irati: possui espessura de cerca de 40 metros e é composta por dois membros:
  • Membro Taquaral (basal): correspondendo a uma sequência de siltitos e folhelhos cinza escuro a cinza médio, frequentemente exibindo laminação paralela e tendo na base um nível conglomerático com seixos de quartzo e sílex.
  • Membro Assistência (topo): representado por uma alternância rítmica de folhelhos pretos pirobetuminosos e calcários dolomíticos creme a cinza escuro, os quais podem se apresentar localmente silicificados (nódulos de sílex). A base aflorante desse membro frequentemente está representada por um nível de calcário dolomítico com espessura de 2 a 3 metros que exibe abundantes laminações plano-paralelas. As rochas carbonáticas têm teores de MgO oscilando entre 14 e 20%.

Perfil típico do calcário Cruzeiro (Pereiras-SP). Banco I: predominância de calcário dolomítico. Banco II: intercalações rítmicas de folhelho e calcário dolomítico parcialmente silicificados.
Formação Serra Alta: constitui-se de folhelhos, argilitos e siltitos cinzentos a negros; ocorrendo localmente, no estado de São Paulo, leitos finos de calcários oolíticos, altamente silicosos, mas com baixo teor de óxido de magnésio. Embora no estado do Paraná a espessura dessa formação alcance uma centena de metros, o mesmo não ocorre no estado de São Paulo, onde ela é muito reduzida. Existe no município de Taguaí uma única empresa mineradora produzindo calcário para corretivo de solo oriundo dessa formação.

Formação Corumbataí: aflora na borda nordeste da bacia, no estado de São Paulo, sendo constituída por lamitos cinza-escuros e arroxeados e lentes subordinadas de calcário. Na região de Santa Rosa do Viterbo temos ocorrência de camadas de calcário com coquinas silicificadas.


Resultados Esperados
 
  • Mapas temáticos de rochas carbonáticas (aplicações principais e usos potenciais).
  • Avaliação da potencialidade geoeconômica da faixa carbonática em estudo.
  • Fornecer subsídios para estudo de mercado.


Referências Bibliográficas

PEREIRA, C.M. Caracterização da produção e consumo de calcário para uso agrícola no estado de São Paulo. Dissertação de Mestrado. IG/UNICAMP. 2002.188p.

PAOLIELLO, P.C. O dolomito da Formação Irati como corretivo de acidez dos solos do estado de São Paulo. Tese de Doutoramento. Escola Politécnica da USP. 1972. 92p.

CPRM. Programa de Insumos Minerais para Agricultura - PIMA. Relatório interno (inédito). São Paulo.


Execução do Projeto

Superintendência Regional de São Paulo

© Copyright CPRM 2016. Todos os direitos reservados.