Zeólitas da Bacia do Parnaíba - MA/TO


Objetivo e Justificativas

O projeto visa a refinar o conhecimento das concentrações zeolíticas na Bacia do Parnaíba, de modo a caracterizar o jazimento com vistas ao seu possível aproveitamento econômico, minimizando riscos exploratórios. Os estudos preliminares de beneficiamento e aplicação das concentrações de zeolitas na Bacia do Parnaíba (MA/TO) têm apontado para a viabilidade de seu uso como insumo agrícola e no tratamento de áreas contaminadas (meio ambiente). Para estimular empreendimentos mineiros, visando à possível explotação desses jazimentos, são ainda requeridos estudos complementares para sua melhor caracterização (reservas, distribuição espacial, zoneamentos mineralógicos, além de estudos preliminares sobre a sustentabilidade desses empreendimentos). Corroborando a visão do Serviço Geológico do Brasil, instituições nacionais e internacionais indicam um crescente interesse em que se aprofunde o conhecimento dessas ocorrências.


Localização e Acesso

A área do projeto localiza-se na porção NW da Bacia do Parnaíba, abrangendo parte dos estados do Maranhão e do Tocantins (folhas SB.23-V-C-V e VI e parte das folhas SB.23-V-C-IV, SB.23-Y-A-I, II e III). A área é cortada pelo Rio Tocantins e servida pela Rodovia BR-010 (Belém-Brasília) e pela Ferrovia Norte-Sul, que se interliga à Ferrovia de Carajás.
. Avaliação do Potencial e Estudos de Zeólitas na Bacia do Parnaíba

Geologia Regional

A rocha hospedeira da mineralização é a Formação Corda, da Bacia do Parnaíba. As zeolitas formam o cimento de arenitos depositados em um ambiente desértico desenvolvido sobre derrames basálticos mesozoicos (Formação Mosquito). A Formação Corda representa a porção proximal de um sistema sedimentar, integrado também pelas formações Codó e Grajaú, do Cretáceo Inferior. A área do prospecto é da ordem de 2000 km², com a espessura da zona zeolítica alcançando valores acima de 30 m.


Estratificação cruzada em arenito portador de zeólitas na Bacia do Parnaíba, representada por paleodunas eólicas da Formação Corda.

Resultados Esperados

  • Definir a área de distribuição da zona zeolítica da Formação Corda e a noção da reserva geológica do minério.
  • Pelo menos uma área piloto para estudos complementares visando à eventual explotação do jazimento.



Referências Bibliográficas

CPRM, 1997. Argilas Nobres e Zeolitas na Bacia do Parnaíba. Informe de Recursos Minerais. Série Diversos, n°02.

REZENDE, N.G.A.M., 2002. A zona zeolítica da Formação Corda, Bacia do Parnaíba (MA/TO). Dissertação de Mestrado, UFPA.


Execução do Projeto

Superintendência Regional de Belém

© Copyright CPRM 2016. Todos os direitos reservados.