Concessões de Lavra

Em 2008, o país contava com 939 concessões de lavra, que propiciaram a instalação de 436 indústrias, das quais 417 estavam em produção1. Juntas, atingiram a marca de 4.369 milhões de litros2. A grande maioria das indústrias produtoras de água mineral ou potável de mesa no Brasil é micro, pequena ou de médio porte.

Em todo o território nacional, à exceção de Fernando de Noronha, há plantas de água mineral em pleno funcionamento. O maior número dessas plantas se concentra no estado de São Paulo, que detém, com 268 concessões de lavra, 22% (785 milhões de litros, a maior produção brasileira em 2008) de toda a produção brasileira de água mineral e potável de mesa envasada no Brasil. Em segundo lugar vem o estado de Minas Gerais, com 89 concessões de lavra, que são responsáveis pelo envase de 287 milhões de litros (5º maior produtor em 2008); seguido do Rio de Janeiro, com 84 concessões, responsáveis pela produção de 373 milhões de litros (3º maior produtor). Goiás com 83, Pernambuco com 62 (2º maior produtor) e Paraná com 54 são outros estados que possuem grande número de plantas industriais instaladas3.

Já em relação às regiões brasileiras, a distribuição de plantas industriais pode ser comparada proporcionalmente à distribuição de Concessões de Lavra em atividade. Assim, na Figura 9 é indica a evolução da participação de cada região brasileira de 1945 até 2008.

Figura 9 - Distribuição das Concessões de Lavra Ativas de Águas Minerais e Potáveis de Mesa no Brasil, por Regiões, em Porcentagem

Apesar de o número de empresas de grande porte ser bastante reduzido no mercado de águas minerais, destacam-se no cenário nacional três grupos com plantas espalhadas por diversos estados brasileiros. São eles:

  • Grupo Edson Queiroz, que através das marcas Indaiá e Minalba mantém a liderança do mercado brasileiro, com mais de 20 fontes distribuídas em 15 estados, entre eles Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Sergipe e São Paulo.
  • Grupo Primo Schincariol, com plantas em São Paulo, Maranhão, Bahia, Rio de Janeiro, Goiás e Pernambuco.
  • Nestlé Waters Brasil, com plantas em Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Esses três grupos participaram, em 2008, com quase 16% da produção brasileira de água mineral envasada. A maior parte dos 84% restantes, com raras exceções, é produzida por empresas que possuem uma única planta industrial.

As indústrias brasileiras somam 436 engarrafadoras. Elas são constituídas, na sua maioria, por empresas de médio e pequeno porte ou por micro empresas, que participam com 74,78% de toda a produção brasileira de água mineral e potável de mesa envasada e estão presentes em todos os estados brasileiros.

Quanto às empresas mais expressivas, destacam-se sete grupos:

  • Grupo Edson Queiroz, fundado em 1979, com fontes no Ceará, rapidamente expandindo-se e conquistando o mercado do Brasil com a compra da marca, na época internacional, Minalba, em Campos do Jordão (SP). Esse grupo mantém a liderança na produção e na distribuição de águas envasadas no Brasil. Isto graças a um sistema próprio de distribuição que vem se aperfeiçoando ao longo dos anos. Detém, com as marcas Indaiá e Minalba, cerca de 12% do mercado interno. Atualmente, possui 21 fontes de águas minerais instaladas e em funcionamento em 15 estados brasileiros, que foram responsáveis, em 2008, por 11,54% de toda a produção nacional.

  • Grupo Schincariol, fundado em 1939, iniciou em 1997 investimentos no setor de água mineral, atuando em seis unidades da Federação, sendo, atualmente, o maior fabricante em valor e o terceiro maior em volume do Brasil. Possui instalações de envase de água mineral em São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Pernambuco, Bahia e Maranhão, as quais somam nove fontes, que participam com 2,67% do mercado de água envasada nacional.

  • Mocellin e Cia. Ltda., responsável pelo envase da água Ouro Fino, fundada em 1946 por Augusto Mocellin e situada em Campo Largo (PR), possui uma fonte com grande capacidade, que poderá acompanhar o crescimento do mercado, possibilitando uma boa projeção futura no mercado interno. A empresa investiu, em 2004, cerca de US$ 1.2 milhões na sua modernização e equipamentos, lhe dando o NSF4. Este acontecimento proporcionou-lhe a abertura das portas do mercado norte-americano e também europeu. A empresa, com apenas um complexo industrial localizado em Campo Largo (PR), é responsável por 2,62% do mercado nacional de água mineral e potável de mesa envasada.

  • Spal Industria Brasileira de Bebidas Ltda. é uma engarrafadora do grupo The Coca Cola Company, envasando água mineral da marca Crystal no município de Mogi das Cruzes (SP). Suas atividades são realizadas pela Estância Mineral de Itabirito Ltda. A Spal, bem como a Estância Hidromineral de Itabirito, é controlada, indiretamente, pela joint venture Coca-Cola - FEMSA, com sede no México. Essas fontes, juntas, foram responsáveis, em 2008, por 2,52% de toda a produção nacional.

  • Flamin Mineração Ltda. (uma empresa do Grupo Flasa de Engenharia e Construção), responsável pelo envase da água mineral Lindoia Bioleve em Lindóia (SP), iniciou sua atividade em 1994. Hoje, além de envasar água mineral nos mais variados volumes com e sem gás, fornece produtos específicos para cada tipo de consumidor, utilizando para isso não só sabor e vitaminas, como principalmente embalagens especiais para atletas e crianças. Obteve o NSF em 2004. Também com apenas um complexo industrial situado em Lindóia (SP), em 2008, foi responsável por 2,51% de toda a produção brasileira de água mineral e potável de mesa envasada.

  • Nestlé Waters, maior grupo de envase de água do mundo, responsável por oito marcas na Itália, 10 na França e oito nos Estados Unidos, passou a dedicar seus investimentos no Brasil em 1999, na água Pure Life, uma água adicionada de sais, fato que gerou uma importante inovação no mercado interno com aparecimento dessa nova proposta. Essa empresa plurinacional iniciou suas captações através da compra do grupo francês Perrier, maior acionista do Parque de Águas de São Lourenço. Responsável pelo envase da água Petrópolis no estado do Rio de Janeiro, no final de 2007 adquiriu os direitos minerários de ASB Bebidas e Alimentos Ltda. no município de Águas de Santa Bárbara (SP), onde envasa a marca Pureza Vital, com a qual pretende aumentar a sua participação no mercado brasileiro. A Nestlé Waters do Brasil, utilizando um total de quatro poços, participou em 2008 com 1,62% do mercado brasileiro.

  • Grupo Danone, empresa francesa com sede em Paris, está presente no Brasil na área de alimentos com o iogurte Danone desde 1970, mas só no final de 2008 iniciou investimentos em água mineral. Apesar de não possuir direitos minerários em território brasileiro, investiu na empresa Icoara Ind. e Com. de Águas S.A., instalada em Jacutinga (MG), e desde agosto de 2009 é responsável pelo envase da água mineral Bonafont, em embalagens de 500, 1.500 e 5.000 ml. Essa água, proveniente de apenas uma fonte, vem sendo distribuída em cidades da região do sul de Minas Gerais e do estado de São Paulo. Por ter iniciado sua produção em 2009, não consta ainda nas estatísticas brasileiras de água mineral.



    1Informação prestada por David Siqueira Fonseca, sumarista mineral, DNPM, em 21/10/2009.
    2Sumário Mineral, DNPM, 2009.
    3Sumário Mineral, DNPM, 2009.
    4National Sanitation Foundation é a Organização Norte Americana líder mundial em Segurança Alimentar e Proteção da Saúde Pública.

© Copyright CPRM 2016. Todos os direitos reservados.