Sobre

A implantação da Rede de Litotecas na CPRM foi uma proposta concebida tendo como foco: a criação de centros descentralizados de ensino e pesquisa voltados para o treinamento e a reciclagem de seus pesquisadores; o fortalecimento de parcerias com universidades e centros de pesquisa na formação de profissionais da área de geociências; o apoio ao desenvolvimento de dissertações de mestrado e teses de doutorados e o fomento à pesquisa mineral em nosso país.

Essa proposta foi fundamentada em três premissas, que definiam a base conceitual a ser utilizada no desenvolvimento do projeto: multidimensional, multiplicidade de atores e desenvolvimento sustentável. A viabilização desse projeto só foi possível pela sua inclusão em ações do PAC a partir de 2009.

O custo para a obtenção deste material é muito elevado, considerando os aspectos econômicos e o desgaste físico e emocional de cada coletor, desde os mais distantes recantos da selva amazônica aos pampas, das barrancas de um rio ao topo de uma colina e, por fim, ao pé de uma sonda. Na época da concepção desse projeto, estimava-se que o total de investimentos públicos para obtenção desse acervo somava US$ 1 bilhão (sendo US$ 850 milhões em mapeamento e pesquisa geológica e US$ 150 milhões do Programa de Mobilização Energética da década de 80).

A Rede de Litotecas tem por objetivo a preservação de todo esse acervo de material geológico coletado ao longo da história da CPRM e daqueles materiais a serem coletados no desenvolvimento de novos projetos. Isso tudo por meio de um acondicionamento adequado desse material, todo catalogado e incluído num banco de dados, em instalações que permitam o fácil acesso a essas informações por usuários internos e externos. São centros descentralizados que permitem fácil acesso às informações, a fim de treinar, reciclar e formar profissionais da área das geociências, em parceria com universidades, centros de pesquisa e empresas privadas.

A rede tem também como proposta a redução de custos na obtenção de novas informações, já que os pesquisadores e investidores do setor mineral podem reanalisar o material existente utilizando novas tecnologias analíticas. Os espaços de estudos são abertos também a visitações de estudantes do Ensino Fundamental, do Ensino Médio e de nível universitário.

Através dessa iniciativa, espera-se que a Rede de Litotecas atinja os seguintes resultados:
  • Contribuir com o planejamento de novos projetos, reduzindo os custos da obtenção de novas informações, pela possibilidade imediata de reanálise desses materiais à luz de novas tecnologias analíticas.
  • Fomentar a pesquisa mineral no país, pelo fácil acesso às informações por meio de um banco de dados, também reduzindo os seus elevados custos.
  • Disponibilizar informações de fácil acesso a pesquisadores, fomentando o desenvolvimento científico-tecnológico.
  • Criar um ambiente favorável à visitação de escolas de Ensino Fundamental e Médio, contribuindo de forma efetiva para a universalização do conhecimento da nossa geodiversidade a toda a sociedade, fundamental para a sustentabilidade ambiental no presente e no futuro.


© Copyright CPRM 2016. Todos os direitos reservados.