Programa Nacional de Hidrologia

O Serviço Geológico do Brasil – CPRM tem atribuições institucionais relacionadas com a ciência hidrológica que envolvem:

  • Participar do planejamento e da coordenação e executar os serviços de hidrologia de responsabilidade da União em todo o território nacional.
  • Estimular o descobrimento e o aproveitamento dos recursos hídricos (águas de superfície e subterrâneas).
  • Orientar, incentivar e cooperar com entidades públicas ou privadas na realização de pesquisas e estudos destinados ao aproveitamento dos recursos hídricos.
  • Elaborar sistemas de informações, cartas e mapas que traduzam o conhecimento hidrológico, tornando-o acessível aos interessados.
  • Colaborar em projetos de preservação do meio ambiente, em ação complementar à dos órgãos competentes da administração pública federal, estadual e municipal.
  • Realizar pesquisas e estudos relacionados aos fenômenos naturais ligados à terra, tais como deslizamentos, enchentes, secas, desertificação e outros.
  • Dar apoio técnico e científico aos órgãos da administração pública federal, estadual e municipal, no âmbito de sua área de atuação (Lei Federal nº 8.970 de 28/12/1994).

Considerando que a hidrologia é a ciência que trata da água na Terra, sua ocorrência, circulação e distribuição, suas propriedades físicas e químicas e sua relação com o meio ambiente, incluindo sua relação com as formas vivas (U.S. Federal Council for Science and Tecnology, citado por Chow, 1959) e considerando o papel institucional da CPRM, foi instituído o Programa Nacional de Hidrologia com uma abordagem sistêmica do ciclo hidrológico (hidrometeorologia e hidrogeologia), abrangendo as seguintes diretrizes estratégicas:

  • Gerar dados através de redes de monitoramento de águas superficiais e subterrâneas.
  • Conhecer os processos hidrológicos e desenvolver pesquisas e estudos aplicados na hidrologia.
  • Prever e definir cenários relativos a eventos hidrológicos críticos.
  • Disseminar o conhecimento geocientífico para a sociedade.

Hidrologia


Levantamento Básico Hidrometeorológico

Rede Hidrometeorológica Nacional e de Referência (RHN/RHNR)

O monitoramento hidrológico é um valioso instrumento para a gestão e o aproveitamento racional dos recursos hídricos. O Brasil dispõe de redes hidrometeorológicas administradas por organismos federais, setoriais, estaduais e particulares, dentre as quais 4.800 estações compõem a Rede Hidrometeorológica Nacional - RHN, sob a coordenação da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico - ANA. A RHN foi constituída com o objetivo de avaliar a disponibilidade hídrica e conhecer o regime hidrológico das oito bacias hidrográficas brasileiras e sub-bacias constituintes. Desde 2016, vem sendo incorporada à RHN a Rede Hidrometeorológica Nacional de Referência - RHNR, a qual tem por objetivo a operação em nível de excelência e com tecnologia de última geração, com a finalidade de prover dados confiáveis, representativos e tempestivos, para conhecimento hidrológico, gestão de recursos hídricos e pesquisa científica.

O SGB/CPRM - com tradição de mais de 50 anos em serviços hidrológicos - instala, opera e executa manutenção nas RHN e RHNR, nelas incluídas as redes telemétricas para inventário e a previsão de cheias; as redes de monitoramento da qualidade das águas e de sedimentometria; e as estações convencionais fluviométricas, pluviométricas e climatológicas. Os dados coletados a cada mês são remetidos para a ANA, para serem disponibilizados ao usuário final.

Esta atividade conta com um corpo técnico de cerca de 450 técnicos e pesquisadores em geociências do quadro próprio do SGB/CPRM, especializados em hidrologia e apoio de terceirizados, destacando-se cerca de 80 equipes técnicas, que percorrem 164 roteiros, por via aérea, fluvial e terrestre, perfazendo um total aproximado de dois milhões de quilômetros anuais, ou seja, o equivalente a 18 voltas em torno da Terra. A coleta dos dados é feita por cerca de três mil observadores hidrológicos. Trata-se da maior rede existente na América Latina.

Essa atividade é desenvolvida através da parceria do SGB/CPRM com a ANA.


Previsão e Alerta de Eventos Hidrológicos Críticos

Os estudos, a previsão e o alerta de eventos hidrológicos críticos estão inseridos no Programa de Gestão de Riscos e Respostas aos Desastres Naturais e compõem a ação que envolve as seguintes áreas de atuação:

  • Previsão e alerta de eventos hidrológicos críticos.
  • Elaboração de sistemas de mapeamento de áreas inundáveis baseado em web.

Um sistema de previsão e alerta de cheias consiste em avisar e informar à população em caso de elevação dos níveis da água no rio, podendo apresentar algum perigo de provocar inundações. Ele se baseia no monitoramento hidrometeorológico e no conhecimento da dinâmica dos processos hidrológicos, permitindo acompanhar e prever a evolução das ondas de cheias nas áreas sujeitas à inundação. Assim, o sistema de previsão e alerta permite evitar o fator surpresa, reduzindo prejuízos devido ao alagamento das vias, aprisionamento de veículos, inundações de bens materiais e equipamentos nas edificações residenciais, comerciais e industriais.

O alerta facilita as ações preventivas de isolamento e retirada de pessoas e de bens das áreas sujeitas à inundação para os níveis de água futuros apontados pela previsão hidrológica. Também são realizados prognósticos e relatórios sobre o regime de estiagem que ocorrem nas bacias hidrográficas brasileiras. Atualmente o SGB/CPRM opera 16 sistemas de alerta hidrológicos.

O desenvolvimento do Sistema de Mapeamento de Áreas Inundáveis baseado em web constitui uma ferramenta importante que auxilia na minimização dos danos decorrentes de enchentes, quer seja na administração de desastre, juntamente à operação dos sistemas de alerta hidrológicos, quer no planejamento urbano, orientando na ocupação das áreas susceptíveis à inundação. Os mapas são produzidos por meio de levantamento de campo e calibração de modelo hidráulico. Os produtos resultantes são boletins de previsão hidrológica, relatórios de estiagens e sistema de mapeamento de áreas inundáveis baseado em web.


Pesquisas e Estudos Hidrológicos

A pesquisa hidrológica consiste na investigação científica sobre o comportamento dos processos hidrológicos em bacias experimentais e representativas, na hidrologia por satélite, na isotopia aplicada à hidrologia, entre outros.

As pesquisas e os estudos hidrológicos envolvem pesquisa de hidrologia aplicada à hidrologia por satélite e isotopia aplicada à hidrologia, bem como estudos de regionalização de vazões e chuvas intensas e avaliação de recursos hídricos superficiais através da caracterização climatológica e de disponibilidades hídricas de uma bacia hidrográfica, abordando: caracterização física, climática, pluviométrica e hidrológica da bacia; regionalização de vazões; balanço hídrico; qualidade de água; transporte de sedimentos. Espera-se fornecer informações para o macroplanejamento de ações no âmbito dos recursos hídricos. As unidades de estudo são as sub-bacias, definidas de acordo com a sistematização adotada no país (oito grandes bacias, com nove sub-bacias cada uma).

Os produtos podem ser apresentados através de mapas temáticos em base digital, relatórios técnicos, publicações científicas e bases de dados para sistemas de apoio à decisão. Destacam-se as pesquisas e os estudos em bacias experimentais e representativas no cerrado mineiro e na Região Serrana do Rio de Janeiro; o estudo de dinâmica fluvial no sistema Solimões-Amazonas; o uso de satélite na hidrologia das bacias Amazônica e do São Francisco; os estudos hidroquímico e isotópico aplicados à hidrologia; e os estudos de chuvas intensas e de regionalização de vazões em bacias hidrográficas brasileiras.


Hidrogeologia


Levantamento Básico Hidrogeológico

Rede Integrada de Monitoramento de Águas Subterrâneas - RIMAS

A RIMAS é a única rede de âmbito nacional com a premissa de acompanhar as variações do meio hídrico subterrâneo, promovendo a ampliação do conhecimento hidrogeológico para os principais aquíferos e fornecendo suporte às medidas de proteção e conservação dessa parcela dos recursos hídricos.

Atualmente, a RIMAS possui 409 poços de monitoramento (394 ativos e 15 inativos) dedicados à atividade de monitoramento em 24 aquíferos sedimentares (aflorantes), três aquíferos sedimentares em suas porções confinadas ou semiconfinadas (Grajaú, Codó, Pirabas), além de coberturas sedimentares indiferenciadas e em rochas fraturadas (ex.: Serra Geral) munidas com medidores automáticos de nível d’água e coletas periódicas de amostras de água para análise qualitativa. Objetiva acompanhar as alterações espaciais e temporais na qualidade e quantidade das águas subterrâneas para fins de gestão integrada dos recursos hídricos.


Gestão da Informação Hidrogeológica

O SIAGAS é o Sistema de Informações de Águas Subterrâneas desenvolvido pelo SGB/CPRM, composto por uma base de dados de poços permanentemente atualizada com módulos capazes de realizar consulta, pesquisa, extração e geração de relatórios. O Siagas permite o acesso a dados cadastrais, construtivos, geológicos, hidrogeológicos, testes de bombeamento e análises químicas de diversos poços por todo o território nacional.

Representa um instrumento de apoio à decisão, dando suporte aos pesquisadores, planejadores e gestores no desenvolvimento da pesquisa geocientífica e na aplicação das políticas públicas relacionadas com a gestão e o aproveitamento racional dos recursos hídricos subterrâneos. Objetiva fornecer informações para a gestão e o aproveitamento racional dos recursos hídricos subterrâneos.


Pesquisa, Estudo e Cartografia Hidrogeologia

É um campo de atuação que busca ampliar o conhecimento científico na área de hidrologia de solos; a realização de estudos sobre disponibilidade e vulnerabilidade dos recursos hídricos subterrâneos e a elaboração de mapas hidrogeológico em diversas escalas. Essas pesquisas e estudos dão suporte a políticas públicas para a gestão integrada dos recursos hídricos.

Destacam-se dentre os produtos os estudos hidrogeológicos em regiões metropolitanas; os estudos de caracterização hidrogeológica de solos; a elaboração de mapas hidrogeológicos em escala estadual, regional, nacional e internacional; os estudos hidrogeológicos no sistema aquífero Urucuia; entre outros.

Disseminação do Conhecimento Geocientífico

A disseminação do conhecimento deste Programa Nacional de Hidrologia é feita através de dados, boletins, mapas, relatórios, publicações e sistemas de apoio à decisão - todos eles disponíveis neste portal.

  • Imprimir