Quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Café Geológico debate ações da Defesa Civil do Acre e Maranhão

Para dar continuidade à série que discute a capacidade das cidades terem resiliência frente ao cenário de mudanças climáticas e de aceleração dos eventos naturais, o Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM), vai dedicar mais dois episódios do Café Geológico, para colocar em em pauta cidades resilientes.

 Nesta sexta-feira (24), o Café Geológico “Cidades resilientes: Acre”, será transmitido via YouTube, na TVCPRM, às 10h, e busca, juntamente com o Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental (Cigma), analisar o monitoramento ambiental, fornecendo dados e informações para a tomada de decisão e resposta da Defesa Civil, diante dos eventos hidrológicos críticos.

A palestrante é Vera Reis Brown, da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e das Políticas Indígenas (SEMAPI) do Acre, que abordará o alerta para as cheias no estado.

Na segunda-feira (27), o episódio do Café Geológico “Cidades resilientes: Maranhão”, será transmitido, às 10h, no canal TVCPRM no YouTube.

O encontro visa debater as propostas e andamentos do Projeto São Luís, promovido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) do Maranhão. A ação educativa será conduzida pelo geólogo da SEMA, José Janio de Castro Lima. Os mediadores são José Diniz, da Divisão de Hidrogeologia e Exploração (DIHEXP) e Mariana Dias Villa-Boas, pesquisadora em Geociências.

 Impactos dos eventos extremos
Resiliência e redução de riscos de desastres devem fazer parte do planejamento urbano e das estratégias para o desenvolvimento sustentável. Para efetivação deste cenário, são necessárias consolidação de alianças interinstitucionais e ampla participação popular, o que está sendo fomentado pelo SGB-CPRM, por meio de diversos projetos institucionais e também por meio do Café Geológico.

O aquecimento global e as mudanças climáticas estão afetando a frequência e a magnitude dos fenômenos naturais. Esses eventos têm se tornado cada vez mais recorrentes no Brasil. Ao mesmo tempo, a ocupação desordenada aumenta a fragilidade do meio físico e expõe um número significativo de pessoas ao risco geológico.

Participe!
Acesse o link da TV CPRM aqui!

Janis Morais
Eduarda Vasconcelos
Assessoria de Comunicação (ASSCOM)
Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM)
asscom@cprm.gov.br


  • Imprimir