Quinta-feira, 19 de janeiro de 2023

Café Geológico destaca a importância da Diversidade e Inclusão nas Geociências

O encontro reforçou a necessidade de ampliação de programas que promovam inclusão e diversidade no meio corporativo

Participantes do evento online

O Café Geológico estreou o ano trazendo para o debate um assunto que tem ganhado cada vez mais espaço no Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM): ‘Diversidade e Inclusão nas Geociências’. O assunto, que também tem repercutido no mundo corporativo, foi ministrado pela gerente de Educação Corporativa e consultora de Diversidade e Inclusão Sênior na ‘Mais Diversidade’, Janaína Gama, e contou com a participação das integrantes do Comitê Permanente de Pró-equidade do SGB, Nathalia Winkelmann e Lila Queiroz, e da pesquisadora em Geociências e coordenadora do SGBEduca, Andrea Sander.

Janaína abriu o evento conceituando ambos os termos e reforçou que o tema vem ganhando força na sociedade e ampliando seu conceito no mundo corporativo. "Diversidade é o conjunto de características culturais, biológicas, sociais e econômicas que fazem de cada indivíduo um ser único. Quando casamos os dois movimentos - inclusão e diversidade -, trazemos uma série de benefícios para toda a organização”, afirmou, ressaltando, ainda, que, apesar de complementares, os termos possuem significados diferentes. Segundo ela, inclusão é a valorização e inserção de populações que, por questões históricas e sociais, enfrentam barreiras na sociedade e nas empresas.

Janaína explicou que não raro o mundo corporativo pratica o Divesity Washing, que é quando a empresa se apropria do conceito de diversidade e inclusão em seu slogan, implementando ações pontuais, mas que não geram mudanças de fato, no dia a dia da organização.

Entretanto, a consultora reconheceu que nem sempre é fácil implementar programas que abarcam os dois conceitos. “É uma questão da empresa fazer um retrato do ambiente e ter a percepção de que uma equipe diversa pode contribuir para o alcance de melhores resultados. A inclusão parte do quanto o empregado se sente pertencente ao local de trabalho. Para isso, é fundamental que ele tenha voz, que ele seja parte do ambiente, sendo valorizado por suas características enquanto indivíduo. Isso nem sempre é fácil”, completou.

Entre os benefícios que as instituições podem obter ao adotar práticas de inclusão e diversidade, estão: melhora do clima organizacional; adaptação dos processos corporativos; empatia entre os funcionários; maior respeito e colaboração.

Sustentabilidade do negócio e o cumprimento dos ODS

A preferência do mercado é cada vez maior por empresas que se posicionam e que assumem sua responsabilidade com a sociedade e o meio ambiente. Desde 2015, quando foram lançados durante a Cúpula das Nações Unidas, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) mudaram os métodos de avaliação de impactos dos negócios. A tendência é que as empresas incluam, progressivamente, programas de inclusão e diversidade, por entenderem que a sociedade caminha em direção ao empoderamento, à promoção e à inclusão social, econômica e política de todos.

A pesquisadora Lila Queiroz explicou que entre os compromissos do Serviço Geológico do Brasil está a ampliação de programas que alcancem todas as áreas das Geociências. “Isso inclui levar o debate para palestras, simpósios, e atividades dentro da empresa”, acrescentou.

Saúde mental, racismo, valorização e o impacto na produtividade dos colaboradores - dentro e fora de campo - também foram assuntos discutidos, bem como a importância das empresas conhecerem o seu corpo funcional. Nesse sentido, Nathalia Roitberg destacou que o Comitê Pró-Equidade irá aplicar um censo, para que os empregados do SGB possam fazer sua autodeclaração de raça e de orientação sexual, anonimamente.

“O censo irá permitir que o SGB conheça seu corpo de funcionários, por meio das características que estão presentes e quais as que faltam. A partir daí, será muito mais fácil implementar programas de inclusão e diversidade, reforçou a coordenadora do Pró-Equidade, salientando, ainda, que é fundamental o engajamento de todos nesse processo.

Assista ao episódio na íntegra: https://www.youtube.com/watch?v=uzxlC-2LUi8


Comitê Permanente de Pró-equidade e Diversidade

O programa do Serviço Geológico do Brasil consiste na disseminação de novas concepções de gestão de pessoas, como forma de transformar a cultura organizacional de empresas. Tem como objetivo conscientizar e incentivar os empregadores em relação às práticas de gestão de pessoas e de cultura organizacional que promovam a igualdade de oportunidades entre mulheres e homens dentro das organizações e promover a rede Pró-Equidade de Gênero, Raça e Diversidade.


Bárbara Scorsin
Núcleo de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM)
Ministério de Minas e Energia
imprensa@sgb.gov.br
  • Imprimir