Quarta-feira, 24 de novembro de 2021

Expectativa de chuvas acima da média pode manter ritmo de recuperação dos níveis dos rios no Pantanal nos próximos dias

Especialistas debateram anomalias positivas em relação ao volume de chuva na região do Pantanal para o próximo trimestre. SGB-CPRM apresentou atualização do monitoramento
Impactos positivos das chuvas registradas ao norte de Cáceres O Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM) atualizou o prognóstico para a vazante do rio Paraguai. As informações foram divulgadas na 6ª Reunião em 2021 da Sala de Crise do Pantanal - Seca na região hidrográfica do Alto Paraguai, promovida pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), nesta quarta-feira (24). Estiveram presentes no evento, os pesquisadores em Geociências do SGB-CPRM Artur Matos e Marcelo Parente Henriques.

Especialistas de diversas entidades como SGB-CPRM, ANA e Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) debateram os impactos da vazante histórica do rio Paraguai, em que os valores do nível da água ficaram abaixo da média por dois anos consecutivos, bem como previsões e expectativas sobre a chuva para o próximo período na região hidrográfica do Alto Paraguai.

O monitoramento da bacia do rio Paraguai é feito ao longo de todo ano e os resultados obtidos são divulgados por meio de boletins semanais. De acordo com Marcelo Parente Henriques, a chegada das chuvas refletiu positivamente na região de Cáceres, em Mato Grosso. “Apesar da contribuição, os níveis ainda estão 10% menores da taxa de normalidade do histórico de dados.”, destaca o especialista.

Representantes do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacaram que foram percebidas anomalias positivas de chuva, no sudeste do estado de Mato Grosso, no último trimestre. Especialistas salientam, ainda, que há expectativas favoráveis em relação à chuva no Pantanal, para 2022, apesar do déficit de chuvas acumulado este ano.

Últimos dados de nível obtidos em algumas das principais bacias da região O pesquisador do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) Marcelo Seluchi acrescentou contribuições à projeção do INPE. A expectativa é de chuvas bem distribuídas, com cerca de 40 milímetros semanais. “As chuvas nessa região tendem a ser irregulares. Na próxima semana podem chegar aos 40 milímetros e na próxima quinzena, aos 80 milímetros. Esses valores previstos estão um pouco acima da média histórica registrada.”, conclui Marcelo.

A avaliação das previsões foi positiva. Portanto, para acompanhar os seguintes desdobramentos na região, o próximo encontro será realizado no dia 19 de janeiro de 2022. A data está sujeita a alterações.

REDE HIDROMETEOROLÓGICA NACIONAL— Os Sistemas de Alerta Hidrológico implantados e operados pelo SGB-CPRM tem o apoio da ANA, por meio de aporte de recurso para operação das estações que compõem os Sistemas, as quais fazem parte da Rede Hidrometeorológica Nacional. A reunião foi conduzida pelo gerente na Coordenação de Evento Hidrológico Crítico da ANA, Vinícius Roman.

Imagens comparativas da região do Pantanal nos anos de 1988, 2014 e 2020 Eduarda Vasconcelos
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
Ministério de Minas e Energia
asscom@cprm.gov.br

  • Imprimir