Terça-feira, 20 de setembro de 2022

Oficinas de pintura com réplicas de fósseis despertam o interesse de crianças para as geociências

Cerca de 240 crianças participaram da ação

O espaço do Geo Museu de Gramado (RS) foi o local escolhido pelo programa SGBEduca para a realização de oficinas de réplicas de fósseis para estudantes de nove escolas municipais das cidades de Gramado e Canela, no Rio Grande do Sul. Cerca de 240 crianças do ensino pré-escolar e fundamental I participaram da ação, realizada de 15 a 16 de setembro.

Na ocasião, foram apresentadas réplicas de fósseis icônicos da paleontologia: garra de Velociraptor, dente de Tyranossaurus rex e do tubarão gigante já extinto, Megalodon, foram destaques entre o público infantil. Compuseram o arsenal, também, fósseis da megafauna brasileira, como unha de uma Preguiça-gigante, molar de Mastodonte, carapaça de Gliptodonte, um tipo de tatu-gigante - e uma presa de Tigre-dente-de-sabre (Smilodon).

A assistente da Residência de Porto Velho, Maiza Ribeiro, e a gerente de Finanças da Superintendência Regional de Manaus, Nilda Gorethe Pantoja, estiveram em visita à Superintendência Regional de Porto Alegre, de 13 a 16 de setembro, e acompanharam os dois dias de atividades, interagindo e participando da ação, juntamente a coordenadora do SGBEduca, Andrea Sander.


Na oficina, uma das atividades foi colorir réplicas de fósseis

De acordo com as representantes das unidades regionais, a ideia é ampliar o alcance das ações do SGBEduca, levando a mesma metodologia para ser aplicada em seus estados de origem. “A alegria e empolgação das crianças nos motiva, ainda mais, a implementar esse projeto em Manaus e região metropolitana, de modo a divulgar as geociências para estudantes e incentivá-los a conhecer e construir carreiras profissionais, a partir desse contato”, constatou Nilda.

As colaboradoras tiveram a oportunidade de conhecer o Laboratório de Petrografia, onde são confeccionados os moldes de borracha de alta precisão e as réplicas em gesso dos fósseis pelo laboratorista Rodrigo Malikovski. A assistente da Residência de Porto Velho, Maiza Ribeiro, afirmou que “conhecer os processos da oficina de fósseis, desde a criação até a atuação prática, além de acompanhar as experiências que já deram certo, preparam o olhar e oferecem ferramentas para multiplicar a metodologia a estudantes de outros estados, propagando o conhecimento sobre as geociências no Brasil. É o que pretendemos para Rondônia”, concluiu.


Estudantes de nove escolas municipais das cidades de Gramado e Canela participaram da oficina

Asscom/com informações do SGBeduca
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
Ministério de Minas e Energia
imprensa@sgb.gov.br
  • Imprimir