Quarta-feira, 28 de abril de 2021

SGBeduca leva conhecimento geocientífico para públicos de todas as idades

No Dia da Educação, conheça o programa do Serviço Geológico do Brasil que atende escolas e disponibiliza material gratuito sobre geologia

A mediação científica leva o conhecimento técnico para a sociedade através de uma linguagem acessível e cidadã, ajudando a refutar ideias negacionistas, conscientizando as pessoas sobre a utilização de recursos naturais e valorizando a ciência. É o que enfatizaram os geólogos Gabriel Facuri e Francisco Ferreira de Campos no primeiro Geodia, evento online que aconteceu no último sábado (24). Eles são pesquisadores do Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM) e produzem material para o SGBeduca , um programa destinado à divulgação das geociências coordenado pela geóloga Andrea Sander.

O SGBeduca foi criado em dezembro de 2019 e tem o intuito de atender demandas de popularização das geociências e do trabalho do SGB-CPRM, por meio de conteúdos mediados e apoiados nas novas tecnologias de informação, voltados à sociedade, em particular a professores e alunos. O site do SGBeduca disponibiliza materiais específicos para cada público: crianças do Ensino Fundamental; jovens que cursam o Ensino Médio; professores e adultos.

Gabriel e Francisco explicam que o material educativo para as crianças é construído em linguagem simples, enquanto o do Ensino Médio compreende conceitos mais aprofundados. Já o conteúdo voltado aos professores inclui propostas de atividades teórico-práticas para realização em sala de aula. Acesse o conteúdo do Geodia no canal TV CPRM no Youtube .

Plataforma aposta em material lúdico para as crianças do Ensino Fundamental Apesar da linguagem acessível, o material não deixa de ter rigor científico: tudo é revisado por pesquisadores do SGB-CPRM especializados na área abordada, e também em mediação e educação. O SGBeduca, junto ao VIC (Visualização da Informação Científica), produz animações e traduz vídeos que estejam em outros idiomas. Além de materiais dos pesquisadores do SGB-CPRM, o programa aceita contribuições de outras instituições - que também passam por avaliação antes da publicação.

A geóloga Deborah Mendes afirma que os conteúdos abordados pelo SGBeduca se adequam a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que rege a educação formal no Brasil, atentando ao aumento das questões de geociências no Enem e nos vestibulares do país. “O SGBeduca preenche uma lacuna no ensino das geociências, porque a gente disponibiliza todo esse material didático de forma gratuita para alunos e professores”, diz.

Presença no ensino remoto
Além dos materiais disponíveis no site, algumas unidades do SGB-CPRM realizam atendimento às escolas, como Porto Alegre e Goiânia. Estes atendimentos ocorriam de forma presencial, mas com a pandemia passaram a ser oferecidos de forma remota. Andrea Sander conta que as atividades remotas são muito semelhantes às presenciais. Conversando com os alunos, ela fala sobre minerais, rochas, as dinâmicas interna e externa do planeta e a geração do Universo. “Sempre que eu vou falando dos minerais, rochas e fósseis, mostro estes materiais, aumentando o interesse dos alunos”, diz. Nas palestras, Andrea busca relacionar os minerais com itens da vida cotidiana e que fazem parte da rotina das crianças.

Palestra on-line para os alunos da Fundação Bradesco “As perguntas entremeiam toda a fala, e tanto eu quanto os professores permitimos esse diálogo livre para as crianças se expressarem”, diz Andrea. Ela relata que as crianças prestam muita atenção na palestra online e que são bastante engajadas, já que estão sedentas por contato com os colegas nesse período de isolamento social.

No mês de abril, o SGB Educa palestrou para alunos da Fundação Bradesco Gravataí, que fica na região metropolitana de Porto Alegre (RS) e atende mais de 2.300 crianças de forma gratuita. Segundo o professor Cássio Soares, responsável por uma turma de 5º ano, os conteúdos abordados em sala de aula envolvendo a geologia ganham sentido prático a partir da contribuição da equipe do SGBeduca. “Didaticamente, esses profissionais atingem a capacidade de compreensão das crianças e favorecem a aprendizagem delas”, relata o professor.

O SGB Educa aceita pedidos de palestra on-line nas escolas, além de oferecer formação por demanda para grupos a partir de 10 professores que tenham interesse. Basta escrever para sgbeduca@cprm.gov.br.


Janis Morais
Bettina Gehm
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM)
Ministério de Minas e Energia
asscom@cprm.gov.br
imprensa@cprm.gov.br
janis.morais@cprm.gov.br
(51) 99144-0416

  • Imprimir