Quinta-feira, 29 de setembro de 2022

Universitários noruegueses conhecem projetos de hidrologia do SGB-CPRM

Os universitários assistiram a um ciclo de apresentações e visitaram os laboratórios e a litoteca

Conhecer as ações e projetos de monitoramento de águas superficiais e subterrâneas implementadas no Brasil. Com esse objetivo, estudantes de Graduação em Geologia e de Mestrado em Hidrogeologia da Universidade de Oslo, na Noruega, visitaram o Setor de Hidrologia da Superintendência de Belém (SUREG-BE), referência nacional em programas hidrológicos.

No dia 23, os universitários foram recebidos pelo Superintendente Regional, Jânio Nascimento. Coordenadas pela professora Aurora Garcia, as atividades da visita envolveram um ciclo de apresentações sobre as principais iniciativas do Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM). Os estudantes também conheceram a litoteca regional; os laboratórios de preparação de amostras de rocha e sedimentos; o Microscópio Eletrônico de Varredura (MEV); e a coleção de rochas e minerais, exposta pela analista em Geociência Tania Argolo.




Três diretorias do SGB-CPRM contaram com um representante na roda de apresentações: o gerente de Hidrologia e Gestão Territorial, Homero Melo Junior, expôs os projetos da Diretoria de Hidrologia e Gestão Territorial (DHT); o Supervisor Ulisses Costa introduziu as iniciativas da Diretoria de Geologia e Recursos Minerais (DGM); e, por fim, as ações da Diretoria de Infraestrutura Geocientífica foram explicadas pelo Supervisor Marcelo Vasquez.




Redes de litotecas e laboratórios

Dez litotecas integram a Rede de Litotecas do Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM), todas abertas à visitação - mediante agendamento prévio. O acervo litológico é composto por testemunhos de sondagem, amostras de rochas, alíquotas geoquímicas, lâminas petrográficas e por materiais de geologia marinha.

Um dos principais objetivos da Rede é preservar o material geológico coletado ao longo da história de 53 anos do SGB e, também, os recursos provenientes de futuros projetos. Para isso, os profissionais envolvidos possibilitam o acondicionamento adequado do acervo, catalogado e incluído em um banco de dados. As litotecas são descentralizadas e permitem fácil acesso às informações - para usuários internos e externos -, com o interesse em treinar e formar profissionais da área das geociências, em parceria com universidades, centros de pesquisa e empresas privadas.

As Superintendências do Serviço Geológico do Brasil contam com 12 laboratórios de Apoio e Preparação de Amostras de Material Geológico no país - o visitado pelos universitários em Belém (PA) é um deles. O Serviço Geológico do Brasil é uma das principais instituições de análise de amostras de minerais do país, com destaque para o Laboratório de Análise Mineral (LAMIN).

Para mais informações, conheça a página Rede de Litotecas.


Maria Alice dos Santos
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
Ministério de Minas e Energia
imprensa@sgb.gov.br

  • Imprimir